quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Retomando

Estou voltando a ler quadrinhos, dai retomo em breve o blog...

quarta-feira, 1 de agosto de 2007

quarta-feira, 25 de julho de 2007

WoW CCG

Semana passada, sucumbi a um velho vício, o dos card games. Nada de voltar ao Magic, entretanto... joguei um jogo muito bacana, baseado no bestseller World of Warcraft - o World of Warcraft Collectible Card Game. Card games são bem divertidos, requerem bem menos tempo que partidas de RPG, e como são colecionáveis, despertam aquele gostinho de tirar a carta rara quando você abre o pacotinho (ou booster, como é conhecido nesse meio).

A novidade no WoWCCG é que você pode ter aliados a seu personagem, equipar ele com ítens mágicos, conferir novas habilidades, e o mais bacana... pode juntar até 5 amigos e ir juntos em uma aventura, como no jogo online, em algo que chamamos de Raid.

O raid que joguei foi o Onyxia's Lair. Um jogador controla o dragão, o resto controla seus personagens e aliados. Coloco abaixo a transcrição de como funciona o raid, tirado do site da Devir.

primeira expansão de World of Warcraft TCG traz um dos últimos dragões anciões remanescentes em Azeroth: Onyxia, filha do primeiro dragão negro, que elabora maquinações para retomar o poder.

Esta coleção introduz a mecânica de raid, onde será necessário reunir todo um exército para derrotar um inimigo comum. Aqui, um jogador irá controlar a Onyxia, usando o raid deck para derrotar todos os outros jogadores, que deverão trabalhar em conjunto para vencê-lo. O deck da Onyxia foi feito inteiramente para esse combate, não existem cards de quests (ela limpou seu quest log a muito, muito tempo atrás).

Ao invés disso, a Onyxia tem um deck especial de "eventos". Em cada turno, o jogador que controla a Onyxia tira um card do topo da pilha desse deck e mostra para todos. Em seguida, o evento descrito no card é executado. Apesar da maioria dos eventos ajudar o jogador que controla a Onyxia, alguns poucos deles beneficiam os heróis da raid.


1º. Estágio - "Learn your place, Mortals"

O dragão desperta e os heróis começam o combate, cercando-o enquanto o main tank (normalmente um guerreiro) atrai ela pra si, para segurar o dano encima de si próprio, dando oportunidade para os outros players de outras classes fazerem seu papel. Assim como no game online, a primeira fase é mais tranquila, mas um mal começo pode ser desastroso.


2º. Estágio - "Spread up! DOTS! More dots!"

A Onyxia levanta vôo e se prepara para reduzir os heróis às cinzas com seu hálito flamejante. Um movimento em falso e a raid inteira pode ser aniquilada em um instante. É nesse estágio também que os filhotes da Onyxia entram em jogo, para o desespero dos healers e DPSers. Se algum jogador "der aggro" em seus ovos, vários filhotes irão aparecer para atacar diferentes alvos.

3º. Estágio - "Incoming! DPS off. Stay away from the eggs!"

O dragão pousa enfurecido e descarrega toda sua ira contra os oponentes. Esse é o estágio mais perigoso na luta contra a Onyxia. Se ela acumular 20 recursos na mesa, ela poderá gerar um AoE para dar wipe na raid, aniquilando os heróis. Por isso, os jogadores devem fazer o possível para matar qualquer filhote que estiver ainda em jogo, e tomar cuidado para não atrair mais.

"Gimme epixx"

Terminando o combate, chega o momento que todos os heróis estavam esperando. A distribuição dos tesouros do dragão (que podem inclusive ser usados nos campeonatos oficiais). O Onyxia's Lair - Raid deck vem com dez tesouros: 2 épicos, 3 raros e 5 incomuns. Os tesouros variam de box para box.

Aqui os veteranos do game online irão reconhecer vários dos loots dropados por ela, como por exemplo o elmo tier 2 de cada classe (Judgement Crown, Helm of Ten Storms, etc) peças do tier 1 ou os anéis ou amuleto que são conseguidos após o herói levar a cabeça do dragão até Stormwind/Orgrimmar (aqui eles são adquiridos como loot normal após o combate).

Enfim, é um card-game simulando um jogo de computador, que por sua vez simula um RPG... E muito legal, vale a pena!

terça-feira, 24 de julho de 2007

O Inevitável

Infelizmente, tudo chega ao fim. Se existe algo que é inevitável, é isso, o fim, o termino, o final, o encerramento, Não tem jeito, tudo termina.

Não, não estou anunciando o fim do blog, mas sim da excelente publicação de Terry Moore, Strangers in Paradise. Com a publicação do número 90, termina a saga de Francine, Katchoo e David. 90 números são pouco mais de 8 anos, mas na verdade SiP existe desde 1993, quando foi publicada a primeira revista, "Breaking up is hard to do" (ou algo assim), publicada pela Antarctic Press. Passou a ser publicada pela editora do próprio Moore, Abstract Studios, foi pra Image, e voltou pra AS, onde ficou, até o dia do lançamento do último número da revista, mais precisamente 6 de Junho de 2007.

SiP foi vencedora do Eisner Award, em 1996, o Reuben Award, em 1997, e o Glaad Award, em 2001. A melhor maneira de ler esta espetacular série é atraves de seus 19 TPs.

Em outro post falo mais sobre a trama, os personagens e todo o resto que compõem esta espetacular série.

Por enquanto, você pode ir lendo esta entrevista com Terry Moore, no site CBR.

terça-feira, 10 de julho de 2007

Sumiço

Estou viajando, passando uma temporada na casa de uns conhecidos em Springfield. Dai não tenho atualizado o blog, como vocês sabem.

Abaixo coloco uma foto da viagem!

sexta-feira, 29 de junho de 2007

O Retorno do Jabá

Antes tarde do que nunca. Esperei pra falar do blog Buraco de Traça pra ver se ia engrenar mesmo. Fui falar de outro sobre quadrinhos e cerveja a um tempo atrás, mas esse morreu em 3 posts, tal qual rebatedor pereba de baseball.

O dono do blog, meu camarada Mike (tambem conhecido como Mike para os íntimos) tem o costume de ler alguns tomos por semana, quase na proporção que eu vejo meus seriados (se eu sou hoje um vidiota, ficando horas de frente a TV, seria o editor do Buraco um Livridiota? Acho que ler tras mais cultura que TV... dessa alcunha ele escapa).

O blog anda muito bom, fala de publicações interessantes (o texto do Blade Runner tá show), e eu recomendo.

O lance é manter a assiduidade, Sr. Editor!

quarta-feira, 27 de junho de 2007

Homem é preso com blaster na Australia

Um fã australiano de "Guerra nas estrelas" foi preso a caminho de um ensaio fotográfico de homenagem aos 30 anos da série, depois que sua réplica de pistola laser foi confundida com uma metralhadora real.

Fã se fantasia de soldado das tropas estelares em festa de homenagem à série "Guerra nas Estrelas" (Foto: Mario Anzuoni/Reuters) O homem de 32 anos estava vestido de preto e carregava a pistola para fora de uma mochila. As pessoas que estavam em um restaurante no centro de Melbourne ficaram alarmadas e chamaram a polícia.

"Era uma arma de brinquedo. Não tínhamos certeza do que se tratava", disse um policial.
O fã estava a caminho de um ensaio especial para um jornal local. Ele foi cercado por policiais armados, forçado a se deitar no chão e depois algemado.

Segundo a polícia, apesar de ser uma réplica inofensiva, o homem vai ser processado por ter uma arma não registrada.